Isso mesmo! Esta casa comemora 10 anos em 2014. Vou resgatar alguns posts destes 10 anos e vou contextualizar com a perspectiva do tempo e do pensamento neste período. Recordar também é viver :)…

 

18 anos só se faz uma vez…

 

Como se fizéssemos qualquer outra idade outra vez, né?!?!?!  Dâââââââââr… pois bem, pra mim não teve nada de especial, ou algo diferente que acontecesse na data de hoje. Mais um ano pra conta do mano véio aki. Sabe Deus pra quem sou [realmente] importante, pra quem faço a diferença, sou amigo, amado, querido, etc; enfim, para quem essa data é especial. A família não conta.

Pra mim, 10 abril até pouco tempo atrás era símbolo da palavra expectativa. Aquela inocente, fofinha e feinha criança que eu era ficava q só faltava botar ovos. Sempre esperando pelo sonhado presente. Não me recordo mais se sempre ele vinha ou não. Lembro-me que desde cedo era um menino sem muitos sonhos, digo aqueles que todos os meninos da minha idade tinham. O tempo foi passando, eu fui crescendo e essa personalidade [que considero forte o suficiente pra nunca ter medo de bater de frente com alguém] foi desenvolvendo-se graças a momentos memoráveis de minha vida, que eu tbm já esqueci. Os valores morais são da família, essencial na minha vida. Os valores sentimentais, graças a folhas e + folhas de cartas de amor e poesias em vão [todas bem guardadas para ocasiões específicas], fora os foras, as decepções, etc.

Hoje, paro pra pensar em tudo o que me lembro destes “longos” dezoito anos, e chego a conclusão de que, até agora, têm valido a pena. Fazer 18 anos está muito longe de ser um símbolo de maturidade, ou de que eu cheguei a idade adulta e “tudo sou, tudo posso, tudo faço”. Essa maturidade a qual me refiro já sou dono há pelo menos 3 anos e meio, e as pessoas independentes são aquelas que enfrentam tudo, desde acordar cedo e pegar ônibus lotado pra ir estudar à trabalhar por um salário de miséria num emprego “pejorativo”.

Vejo o quão estou me tornando adulto [no sentido de chato msm], filósofo e barbudo. Esse ser amargo e cheio de filosofias. Os traços de inocência tornaram-se maturidade e o sorriso que antes era um pouco mais fácil aos pouco vai sendo substituído por uma expressão fechada, curitibana, insosa, sem graça. Tá que nem sempre a vida é aquela tragédia, mas ultimamente tenho encontrado poucos [raros] motivos pra sorrir. O fato dos “dias serem felizes” não significa necessariamente q eu esteja feliz. Qualquer pessoa que vive o que vivo [nos aspectos “sociais”] estaria beeeem. Mas pra mim, ainda falta algo. Ah, isso faz parte da nossa natureza, nunca estamos contentes com o que temos…

Acabo de entrar numa fase de minha vida que faz total jus ao significado da palavra responsabilidade. Passo a ser, aos olhos da sociedade, o senhor do meu nariz, etc e tal.  Estudar, arranjar um emprego, ganhar bem, estabelecer relacionamentos. Tudo isso faz parte da vida de todos, mas agora tornou-se “obrigação”.

Bem, esse 10 abril, acima de tudo, é o meu aniversário. A partir de amanha, esse dezoitão que vos escreve tem muito o que fazer e uma vida toda pra planejar, sorrir, realizar, etc. Feliz aniversário pra mim, e ótimos dias pra todos. O resto é resto. 

Extatuç:    um ano mais véio…

No radinho d pilha toca: “Um minuto para o fim do mundo”, CPM22

Ali tinha uma transição bem clara, bem mais para o mundo do que para mim. Os aniversários continuam sendo a passagem de um ano para outro, com alguma mensagem mais clara ou não acerca do que aconteceu no meio tempo de um aniversário para o outro. Naquela época eu viva para estudar e estudava para viver, e fora os estudos e um acesso semiviciado ao Orkut, a ideia era crescer na vida para mudar o estado das coisas que a família vivia. Aconteceu de fato em mais 3, 4 anos.

A virada dos vinte e poucos para os vinte e tantos anos tem sido interessante. Os dois anos foram emocionalmente desgastantes, e todo o otimismo depositado nos dias foram extremamente úteis para não capotar em mágoas e decepções até aqui, irremediáveis. A resiliência emocional que foi talhada ao longo de anos anteriores àqueles dois foi colocada à prova de muitas formas, e foi imprescindível para conduzir os dias com a maior quantidade de equilíbrio que deu. O saldo é ter ganhado fragilidades e lições novas, com resistência e insistências diferentes para situações mais pessoais.

Como não busco a perfeição, mas a construção de uma pessoa melhor, capaz de levar uma vida melhor, sigo com este saldo também (de coisas a melhorar): ainda invisto muito tempo com coisas que me incomodam, dá pra dispensar. A pouca fé que tenho em algumas coisas e em algumas pessoas continua se perdendo, e por hora, prefiro não pensar no que vai ser se esta perda for total. Meu foco foi perturbado como se não houvesse amanha nos últimos 7 meses, e o esforço que tenho feito para que ele não se perca está cobrando a conta diretamente da minha saúde. Quem está ao meu redor tem um conceito do que é melhor pra mim que não está muito compatível com a realidade, pois este melhor é o que se encaixa na inalterada vida delas, e não na evolução da minha. O desapego, uma prática constante, está num nível que pode melhorar. Afinal, sempre podemos melhorar em tudo.

Mas o mais importante é não pegar estas coisas citadas e sentar em cima delas. Não se pode deixar de caminhar, caminhar e caminhar. Crescer e amadurecer. Envelhecer é consequência… basta manter uma mentalidade em dia. Pra fazer o resto ser só o resto. O post original está aqui.

[♫] “And you´ll never find, it´ll take the end of all time

Someone who understands you like I do

Whoa, I´m not tryin´ to make you stay, baby

Cause I´m the one who loves you

And there´s no one else!

No… No one else!” You’ll Never Find Another Love Like Mine, Michael Bublè e Laura Pausini.

One thought on “revisTzaum #03

  1. Oi, Tony!
    Foi seu aniversário e eu não fiquei sabendo :( Triste por estar tão ausente da vida online…
    Fiquei olhando para a sua fotinha e pensando que por mais que mudemos, tem alguma coisa ali que não muda, que é a essência com que nascemos… Tem ali um olhar tão confiante na vida que é de dar inveja! :D
    Parabéns atrasado!!
    Beijus,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *