Nem parece, mas mexo com produção de conteúdo [formalmente] desde 2004.

Começou como um exercício escolar de quem tava buscando mais um sim. De 2005 em diante, direcionado ao universo da comunicação, mas ainda com o tom semi amador e absolutamente pessoalizado que o histórico deste blog bem sugere.

Antes disso, redigir e revisar uma bela quantidade de textos pro meu pai, que detonava cadernos como quem passaria, hoje, o dia no whatsapp.

doce ilusão
isso mesmo, eu achava que mandava bem na escrita. Doce ilusão…

Offline, muitos trabalhos de graduação, que depois viraram planos e planejamentos de comunicação, táticas e estratégias em publicidade, e centenas de spots para rádio, e apresentações de campanhas ou materiais.

Mais de milhar de defesas de marcas, papelarias, e materiais promocionais nas plataformas freelancers.

E o que aprendi na produção de conteúdo escrito?

  • A ser prolixo quando falo de assuntos pessoais, e conciso quando o assunto é vender;
  • A cortar palavras com a mesma normalidade que são escritas;
  • A gostar de escrever por prazer;
  • E a sentar e escrever quando e como for necessário.

 

Assim como a criatividade, produção de conteúdo escrito é uma habilidade que basicamente exige treino e acumulo de repertório.

Treinar é escrever sempre, de maneira menos informal [e não necessariamente formal].

De longos e-mails à discussões com embasamento, sobre algum assunto que você tenha um interesse genuino. Ou até mesmo manter um blog sobre um tema do coração.

Acumulo de repertório é ler. De bula de remédio à manual de sanduicheira. De posts rápidos como listas do Buzzfeed à textos de 4000+ caracteres sobre a história de algo ou alguém na wikipédia.

Passando por tipos distintos de revistas e jornais, on e offline. Livros, então… desnecessário reforçar, mas: ninguém consegue aprender a gostar de escrever sem gostar de ler. E nada ajuda mais do que os livros.

Uma ferramenta inesperada

Estendi minha produção de conteúdo para outros dois ambientes: sobre o meu clube do coração aqui, e sobre vida profissional, aqui. E mantendo o compromisso / tradição semanal que existe desde 2004, de fazer um post aqui. Fora tudo que é feito para os clientes…

Quando dei por mim, estava usando quase o mesmo tempo de criar produtos visuais, para construção de textos. Com a mesma gana e energia. O mesmo prazer de achar a informação correta e de pegar atalhos pra recortar o que preciso. Com o mesmo interesse em “passar daquele menino blogueiro” para usar esta habilidade a fim de gerar oportunidades diferentes.

Hoje, poder ofertar isso de maneira “direta” ou apenas tornar meu modelo de trabalho ainda mais atrativo, ainda considero como inesperado. E de certa forma, ainda sinto-me em evolução, pois escrever é um habito que sempre pode ser melhorado.

 

Uma ideia imprescindível

Afinal, melhorar não quer dizer apenas fazer dinheiro escrevendo. É ter o prazer de aprender mais coisas para escrever ou pesquisar sobre elas, como faço para as séries de posts sobre música.

É ser capaz de ser comunicável e se comunicar num mundo cada vez mais virtualizado. Lembrando que mesmo no próximo passo, que é a conversão de voz em escrita, falar de um jeito minimamente compreensível exige a noção básica de linguagem, que seguirá sendo absorvida e construida tanto na oralidade quanto na leitura.

Quando dei por mim, virou uma paixão do mesmo tamanho que é a de “tornar tudo visual”. É a melhor forma de “colocar para fora” aquilo que penso e sinto. E o jeito mais prático de saber e compartilhar a maior parte dos assuntos pelos quais genuinamente me interesso.

Para saber mais sobre produção de conteúdo escrito:

 

5 dicas para acelerar sua capacidade de escrever:

  • Participe ativamente de grupos e fóruns sobre um assunto que te interesse. Escreva, troque ideias.
  • Mantenha um diário, pessoal ou público. Nem que seja um simples diário de gratidão.
  • Escolha um assunto que não te interesse, e pesquise sobre ele [exemplo: ler um tema inteiro na wikipédia e fazer um resumo em até 2 páginas no word. Isso te ajudará a criar conexões e a aprender a ler com velocidade.
  • Tente resumir um livro, ou fazer um resumo de cada parte que você leu. Se você está em período universitário, muito prazer, fichamento: https://cursocomofazerumtcc.com.br/sem-drama/fichamento-de-textos-e-artigos/
  • Pegue músicas para traduzir, ou pesquise textos de uma área que você curte mesmo, para fazer tradução. Dobra a capacidade de absorver conteúdo, e mata 2 redatores com uma caneta só: aprende outro idioma e testa a febre no potencial de escrita.

 

O resto é com treino… pra fazer o resto ser só o resto!

Fonte das imagens utlizadas aqui, pela ordem:

  1. https://sundivision.tumblr.com/post/164915959671/i-dont-want-to-let-rules-destroy-my-creativity
  2. https://thehonestauthor.tumblr.com/post/167853981279/pretending-that-everything-is-okay-and-your-new
  3. http://lamefreek.tumblr.com/post/135061381409
  4. http://alcrego.tumblr.com/post/113169018151/read-between-the-lines-in-better-quality
  5. http://dianimations.tumblr.com/post/153490169753/coffee-time

Sem música!

Siga por aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *