É com certa relutância que inicio uma “série” de posts [sem datas!], não pelo assunto em si, mas pq o termo foi banalizado e instituído na blogsfera como tática de SEO e soa como ultima salvação de qualquer espaço para reter audiência sem que seja pela qualidade do que se escreve [mas não deixa de ser interessante essa paixão por “números” que carregamos nos diversos ambientes em que convivemos]. Mas enfim, faço parte das raríssimas exceções do mundo que bloga, que não espera nada além de convidar as pessoas aos seus espelhos e distrair algum tempo livre [o seu né, pq este é artigo raro nas prateleiras do cotidiano do cara que escreveu esta introdução gigante sem dizer um A do assunto em questão].  Bora pra afirmação categórica que vai te prender a ler o resto?

Homens, dica pra saber de antemão onde pretende guardar seu pokemón: olhe para as mãos da dama. A relação que uma mulher tem com as próprias mãos traduz em que nível ela vai conseguir ter um relacionamento com você. Vai por mim, prestenção. Uma mulher que zela por um item que é aparentemente banal vai gostar de você como gosta de 39 tons de vermelho, e mais um pouco.

Nesses 20 e poucos anos, ainda não conheci alguma que tivesse mãos realmente impecáveis e distração com suas paixões, quaisquer elas fossem [assim como não estavam num relacionamento por ócio ou solteiras por distração]. Aquelas que cuidam de suas mãos [to falando de cuidar, não de ir à manicure e só passar um esmalte da moda pra achar que arrasa!], carregam consigo um artigo raríssimo nas duas espécies: atenção aos detalhes. É daquele tipo de mulher que vai lembrar qual era a cor da gola da camisa do cara que sentava há três mesas de vocês no bar do primeiro encontro, que era ao lado do restaurante que ela tinha almoçado com uma amiga há três meses antes e que usava uma bota nova lindíssima que tava em promoção mas não comprou pq ia deixar para depois pq estavam conversando sobre solterice, bem como vai lembrar dos principais assuntos que vocês conversaram na ultima oportunidade. E vai perguntar pra você como você está antes que vc pergunte [ou melhor: não vai esperar que você pergunte primeiro, pra daí soltar um “td-bem-e-você?”]. E vai querer saber se você resolveu o que tinha pra resolver e se está tudo bem agora. E não vai fazer charme pra contar dos dias dela, das coisas dela, da vida dela, pq despertou seu interesse de outra forma, mesmo que faça um charmezinho pra lhe arrancar um misero elogio. Não vai fazer cerimônia pra te pedir ajuda no que tiver dificuldade. Não vai “se fazer” de nada que não seja dela mesma. Mulheres que cuidam bem das próprias mãos vão querer cuidar de você não como filho, muito menos como posse, mas como companhia. Vão pensar em vc tão lindo quanto elas se produzem pra [1] fazer inveja às demais e [2] pra vc elogiá-la. Vão fazer com que você se sinta o cara distraído mais sortudo do hemisfério de cá, mesmo que pra você isso signifique apenas que vc tá pegando uma mina mógoxxtóósa, bem gata que faz tudo por ti.

Sem contar que cuidar das mãos é um pedaço de todo o rito que catapulta uma mulher dessas do status de “mais uma” para “diva”. O que, diga-se, não existe companhia melhor para ser acompanhado :)… ahh, as divas. Essas ilustres desconhecidas que tem até preguiça de capa de revista, e acordam mais cedo para passar algum hidratante no corpo, que tomam banhos no ritmo de seus rituais, que nunca vão deixar de reclamar do cabelo mesmo que apenas despenteado ele já fique um espetáculo. Essas moças que “só vão ali”, mas saem de casa prontas para aquele amor de 29 novelas, com o direito garantido de final feliz. Aquelas com sorrisos gratuitos e simpatia não pelos feminismos e machismos que ainda nos corrompem, mas pq são delas e elas também adoram manter, de graça ou sob um salto lindo, mas incomodo bagarái. Essas que deixam seu cheirinho de vale a pena pelo ar e a distração garantida no primeiro olhar. Essas que olham pra você querendo enxergar seu coração, mas também se distraem com uma beleza qualquer. Que sabem conversar mais do que treinam a arte da “insuportabilidade” [estas têm sido as mais fáceis de achar, infelizmente…]. Essas que escolheram ser felizes por conta ante o recalque[de qualquer categoria] por ócio. Alguma dúvida de que uma mulher que cuida de si não vai cuidar de ti como merece?

É obvio que decotes-delícia e calças com cintura baixa e zíperes a vácuo [alguma outra explicação para algumas calças serem tão coladas, amém estilistas?] são ótimos [a linha que divide sensualidade de vulgaridade está na sua hipocrisia e na postura da tetéia em questão :)], tal qual vestidos e sandálias e toda outra roupa que reitere que ela está se sentindo bem naquele dia; mas use um pouco a cabeça de cima, e olhe para as mãos. Tudo isso que eu citei, vai murchar, mesmo com silicone, botox e personais / amigos / uarévas que dêem o coro que você não der. Mas mãos, essas se cuidarem uma vez, vão cuidar sempre. Se forem bem cuidadas, cuidarão sempre mesmo, num nível que só uma vida sabe explicar. E o que vai ficar marcado é o toque, o cheiro, o sorriso, a expressão de prazer depois de uma frase romântica [clichê ou não] solta ou uma tarde-noite de sexo sem rótulo. Vai por mim. E rapaz, faça por onde para entrelaçar seus dedos em mãos como essas. O resto vai ser muito só o resto.

Moças, como estão suas mãos? :)

[♫] “iiiiiiii só ditiverr, eu penso em troccar [uuhhhh] a minha tevê, num jeito di-ti-le-vaarr pra qualquer lu-gaarrr, que vuoooce quei-raaa…” – Ultimo Romance, Los Hermanos.

12 thoughts on “Praticas teóricas de relacionamento | 1 – mãos dizem muito

  1. HAHAHAHAHAHA.

    ah, Tony… depois desse texto, dizer que cuida das mãos vai soar muito “quero ser musa”; dizer que não cuida vai soar “to nem aí pra essas coisas”. situação muito delicada.

    adorei! beijos e ótimo restinho de semana. ;*

    1. heheheh… a linha entre feminilidade e desleixo também está mais na cabeça de quem analisa do que na “musa” :)… e sempre existem as exceções que esculacham a regra!

      bjo!

  2. :) Tenho uma teoria parecidíssima e, quer dizer, nem é teoria, pois costumo aplicá-la sempre! Analiso as pessoas pelos pés. Sei que homens que cuidam dos pés direitinho, também vão fazer o mesmo com os dentes, cabelos, todas as reentrâncias e protuberâncias! :D
    O pé por ser a parte mais extrema do corpo e por isso de pior acesso, a sua falta de conservação pode dizer muito da personalidade, assim como o tipo de sapato preferido.
    A análise é longa viu?
    Vai me contar como cuida dos seus pés? Depois te conto como cuido das minhas mãos e pés! ;) Beijus,

  3. Beleza de post Tony!
    Tá certo que a última coisa que eu olho pra uma mulher, é pra mão. mas tá valendo…
    se eu tivesse lido esse texto antes.. tinha me fudido do mesmo jeito… pois vai gostar de unha, mão e o caralho assim tal qual dona encrenca.. mas enfim…
    Valeu!

    (sem falar que ri um bocado!! hehehe)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *