Confesso que ainda na graduação, imaginava a turma da pós [sabia que faria já no 2º ano (branding); descobri o que queria fazer no começo do 3º] como um conjunto de profissionais que sabiam o que queriam e ali [o curso] era um degrau ou ponte em prol disso. Acertei em cheio.

neste prédio, tudo que preciso saber sobre branding e mais um pouco.

Continuando do começo, faço pós-graduação nesse prédio bonito ai, dentro de um campus gigantesco na mais bem equipada universidade de Curitiba.

Estudo Branding [Gestão de Marcas], que dentre as diversas definições que possui, a mais coerente [ainda que nem de longe seja a mais simples, :D] é dizer que é uma nova cultura de gestão empresarial, que orienta os rumos de uma empresa [ou grupo de empresas] a partir da marca, seja para sua [re]construção ou fortalecimento; a marca é um atributo de relativa tangibilidade e mensuração, no entanto é uma das poucas, senão a única coisa que conecta [racional e emocionalmente] seus clientes e o bolso dos seus clientes aos produtos e serviços que são oferecidos.

Numa sociedade onde os sistemas de produção são muito parecidos, bem como os produtos e serviços oriundos deles, só a marca [aliada a algumas ferramentas] fica na mente do consumidor.

(construídos na mesma plataforma, são o mesmo carro. O que muda são seus “nomes de marca”…
… e é isso que faz toda a diferença em cada um deles, e em seus respectivos preços e números de vendas. VW´s Gol, Polo e Fox)

Pense em uma pessoa.

Em uma música.

Num canal de TV.

Existem zilhões desses itens, certo?

Mas apenas um veio a sua mente no instante em que perguntei.

E trabalhar com branding é fazer o impossível e mais um pouco para viver neste posto privilegiado em sua cabeça. Existem pouquíssimos cursos deste porte no Brasil. No Paraná [dá pra dizer no Sul] é o único.

Apresenta disciplinas que ilustram todas as etapas da gestão de marcas, nos “moldando” para o desenvolvimento de múltiplos conjuntos de soluções que criem uma efetiva conexão entre você e uma empresa. As ferramentas utilizadas são o norte na gestão de algumas das corporações mais valiosas do planeta. Virou, fácil, outra paixão na minha vida :)…

É um conteúdo fascinante, pois mostra novos caminhos para “humanizar” [no sentido de aproximar] um elemento que já é da cultura [o ato de comprar] e é também um sistema social, explicitamente.

Implicitamente, lista uma série de condições para manter marcas, pessoas e corporações fora da curva entre o que se diz, o que se pensa, e o que se faz a respeito de gestão, cultura, liderança, pesquisa e desenvolvimento, design, marketing, etc.

Para um profissional que vive de sugerir as pessoas novas [ou a repetição de] compras e hábitos de consumo, é a ponte E o degrau para continuar aprendendo e refinando a capacidade de planejar de maneira criativa, e criar de maneira estratégica, todas as soluções possíveis.

Para o momento econômico do país e para a realidade global de negócios, estudar essa disciplina [que organizada como tal malemá tem 20 anos] hoje é escolher fazer parte da história, pois os profissionais de branding hoje são [serão] as referências de tudo aquilo que nossos descendentes vão entender como cultura organizacional, corporativa e de consumo.

Dá pra escrever mais umas 200 linhas sobre como e quanto o branding é importante e mudará [já muda e você nem percebe] nossas vidas, mas atenho-me a:

  1. é muito bom repensar, evoluir a estrutura capitalista colocando o design no jogo [como peça central, estratégica]; e
  2. a estrutura essencial do estudar / fazer branding estende-se a outras coisas, até no nosso jeito de levar a vida [mas conto mais sobre isso num outro post].
  3. Escolha acertada e vivida junto a 30 malucos que abrem mão quinzenalmente de seus finais de semana para viver algo mais.

Em especial esse trio ai: trupe fantástica para se estar, conviver e rir, muito.

Excelentes companhias, ótima equipe para trabalhar, tendo em comum ao moço aqui a sede de excelência, demonstrada módulo a módulo. Convivência fisicamente menor, com proximidade no relacionar tão viva e sincera como se estudássemos juntos desde a graduação.

Entre os demais, um papo agradável.

No conjunto, o tudo um pouco:

cumpridores de tabela, eficientes sem brilho, brilhantes sem eficiência, os filhos de papai/mamãe-estou-estudando-pra-não-ficar-só-em-casa-mesmo-formado-mas-desempregado; e os fora de série, espalhados em todos os tipos e portes de empresa; entre uma advogada e uma turismóloga, dois batalhões de designers e publicitários.

Dos módulos e professores, um desbunde para mentes fervilhantes e inquietas.

De brinde, pérolas como “inglês é praticamente a nossa língua pátria” até materiais em übber primeiríssima mão.

No mais, já foi um terço do curso e passou voando; daqui algumas semanas começo a falar [pensar e fazer] o projeto final e piscando de novo, acaba mais esta etapa.

Só posso dizer que estou feliz demais com o que tenho aprendido, das frases soltas numa tarde gostosa [lá fora da sala] de sábado às risadas impagáveis num comentário qualquer, indo pra casa nas frias noites que as sextas têm em Curitiba. Conexão mais que feita na cabeça e para a vida, deixando o resto com muito mais cara de ser [e é!] só o resto. Ô se é!

* Brandeiro[s] é o apelido que temos recebido de alguns dos professores do curso. Faz sentido :P

[]”Nu rain, says i, i wrote this song on my guitar, but it didn’t turn out right…” – Another Rainy Day, Corinne B. Rae.

6 thoughts on “Para virar brandeiro* (e como aprender a gostar de branding).

  1. Nesta etapa da vida os cursos pós graduação são fundamentais.Nenhum curso principal dá o saber completo.Ainda mais nos tempos de hoje onde a especialização faz a diferença.Entretanto, pode aparecer uma oportunidade um pouco fora do foco a que vc está fixado e tem também o mesmo valor.

  2. poxa, que legal. adoro ler seus textos, porque sempre têm muita paixão. e você faz a publicidade ser apaixonante (o que é questionável para um jornalista… hahaha. daquelas rixas inúteis).

    aah, comigo esse negócio de responde rápido não funciona. tudo foge assim que sou questionada. sério! não lembrei de nadinha. hahaha.

    até logo! o/

  3. tony, quanto tempo!

    e que post mais gostoso de se ler! isso porque eu estudo marketing e tá aí um dos assuntos que mais curto nesse universo de reformulação de teorias de produtos e consumidores.

    um ponto pra vc, que tem a oportunidade de estudar algo tão bacana com uma estrutura fora de série! posso estar falando besteira mas acho que aqui no rio não existe uma pós no assunto, mas apenas cursos de extensão. claro, temos a ótima espm, a puc… mas senti um “dedo” de inveja de vc, meu caro.

    quem sabe meu futuro não seja curitiba?

    um grande beijo, amigo!

  4. Oieeeeee
    Tão maravilhoso ver alguém realmente fazendo algo que curte.
    Os profissionais que assumem algo só pensando na grana são os que mais fazem sofrer quem deles necessitam, vejamos a maioria dos funcionarios públicos, nas áreas médicas, previdenciárias, nossa…é tão triste.
    Parabéns sempre, por cada conquista.
    Xeroooooooooo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *