Para uma pessoa com a minha rotina, planejamento e organização são imprescindíveis para ter as realizações conquistadas da maneira como se imagina. O modelo que encontrei para tirar meus sonhos do papel passa pelos seguintes aspectos:

listas e mais listas

Uma lista do mês, uma da semana, uma pro dia. 10, 20, e 5 itens em cada, em média, respectivamente. Ter uma noção clara do que se tem pra fazer (vale lembrar, para pessoas como eu, que levam uma jornada de trabalho extensa e não abrem mão do tempo para viver. Se você não leva uma vida assim, recomendo seguir para outro site ou para postagens anteriores e guardar “a critica sobre planos” para quem não os faz) é o melhor para não trocar uma postagem como esta por postagens do tipo “minha vida é uma droga”, “o que fiz / estou fazendo da minha vida”, ter um blog / página em rede social sobre mimimi, ou reclamações similares. É o ideal para que suas atividades consumam seu tempo, mas não a sua vida. E para que você só tenha desculpas consigo – e não com o mundo, com seu emprego, com o universo ao seu redor – para com as coisas que você realmente quer fazer.

organização: não mata, não engorda, e faz crescer

Seja para começar um trabalho, seja para escrever um texto, seja até para arrumar a casa, ou qualquer “banalidade que você precisa fazer”, organização te ajuda a resolver qualquer atividade mais rapidamente. Para o meu perfil de trabalho (projetos criativos), se eu não mantiver inspirações e ferramentas a mão, ou separar por atividades / grupos as ideias e materiais que preciso, não conseguiria solucionar os problemas que chegam às minhas mãos e e-mails em todos os dias, com a velocidade que os 10 anos de carreira ensinaram a construir. E se me permitem a sugestão, a melhor forma de organizar a vida é aprendendo a arrumar a casa. A segunda melhor é automatizar a maior quantidade possível de coisas que você faz sempre.

prepare-se mais que o necessário…

e depois, siga o fluxo. Exceto se você gosta de sofrer, não vejo sentido algum em não buscar tentar ser melhor (leia bem, ser melhor, e não ser O melhor) naquilo que você precisa fazer. Volto pro começo deste post: queremos uma boa vida, boas companhias, viver dentro de certos padrões… mas se não batalhamos por isso, ou encontramos alguém que batalhe por nós, nos deixando num eterno berço esplendido, como faz? Não precisa gostar de estudar, de ser organizado, de levar a sério as coisas. Só precisa ter foco num objetivo específico. Se a sua vontade de ter / conquistar / comprar algo é “maior que qualquer coisa”, faça ela acontecer antes do que você até mesmo imaginava. Não espere que as circunstâncias venham para deixar o universo simplesmente conspirar a seu favor. Se você prepara mente e corpo para conquistar determinados objetivos, ambos estarão “mais tranquilos” para deixar você fazer apenas o que precisa.

São três coisas que a maior parte dos modelos sociais presentes em nossa vida costuma rechaçar direta ou indiretamente (basta ver qual é o entendimento que se dá para a frase “o mundo é dos espertos”…), contudo, devolvem pra ti a autonomia da sua vida. E fazem com que o resto seja apenas só o resto.

[] “I think she’s got that true blood

Every time you’re ‘round I can smell it in you

She’s got that true blood”, True Blood, Justin Timberlake

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *