Que ele não seja nem melhor nem pior, que apenas seja.

Repleto dos dias de buscar outro sim, pq o não tá aqui, em todas as esferas da vida [e isso não é ruim, frise-se!]. Cheio da certeza de não esquecer quem é responsável pela felicidade própria, pelo entendimento claro das coisas, pela responsabilidade de arcar com todo e qualquer ato e, especialmente, mudar com tudo e todos que não nos fazem bem.

Que seja de viver cada dia, todos os dias, com a consciência tranquila de que é dado o melhor e que o mundo é o mundo, e as pessoas só giram [com] o mundo na base da vontade. Inicia um ciclo de fazer tudo o que se tem melhor e nele enxergar coisas novas, e não por mirar coisas novas, fazer tudo que se tem.

Terminei o ano olhando mais pra trás do que o comum, relembrando as minucias da soma de experiências que me trouxe ao que estou. Estava em dúvidas com o que pretendo pro amanhã, e precisava lembrar quais as coisas q estava fazendo igual e em quais mudei de verdade. É lindo ver padrões se repetindo [mesmo os negativos!], recortar a sua essência e olhar no espelho pra perguntar se não estão retirando ela de você, ou se simplesmente tem coisa pequena ficando grande. Um sorriso e o choro [que segue] represado [e eu confesso que não sei por que. Dificuldade pra chorar dá um post, algum dia rola!] responderam: alternativa 2, minha criança.

Assim, começo o ano com essa torcida para que ele apenas seja, porque bem conversadinho podemos nos planejar, sonhar, projetar, colocar lá na frente… mas vai ser no dia a dia que vamos alcançar cada uma das nossas vontades, mudanças, desejos, sonhos, e realizações. Afinal, manter o resto sendo apenas o resto deve seguir longe de ser apenas um discurso :)

[♫] “Think I lost my mind / I might as well be blind / It’s only you I see / Just like you’re haunting me / Like a ghost in the darkness, huuhhh / That’s all that’s left of you” Heaven for a fool, J. Morrison.

2 thoughts on “oi, 2016.

  1. “ASSIM SEJA”, meu caro! Assim como você, sou dessas que tem na cabeça a certeza de que as coisas só acontecem se a gente corre atrás pra isso. Emagrecer. Correr mais rápido. Desengavetar projetos. Há fatores externos que contribuem? Sim. Porém começa por nós, o pontapé inicial. E não precisamos de um “ano novo” pra (re)começar, temos todos os dias uma nova chance, uma oportunidade de tentar e tentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *