Nas curvas da praça, nas esquinas de casa, nos lares dos amigos, nos bares mais tranqüilos, no feixe da saia.

Nas paredes da lembrança, nas tendências de criança, na barba, na barra, nos decotes. Nas frases com sentir, nos atos sem sentido, consentir, nunca foi fingido.

Nos espelhos, nos pingos vermelhos, nas unhas vermelhas, nos olhos vermelhos, nas camisetas sem cor.

No bordado da calça, no zíper da bolsa, no jeans da carteira, o bolso do celular, na chave que a gente nunca acha, no chaveiro igual ao par do pé, na música do seu artista predileto, nos versos do meu dramaturgo predileto, nas calçadas, nos ladrilhos, neste quarto, ao meu lado.

– Você de novo, Saudade?

– Agora e sempre, Solidão.

[] “UOOOOOOOOOHHH TRUU FINE MAA-MAAAAHHH DON´T GOOOO AWAY, YEEEAAAAAASSSS TRUFINEMA-MAAAAA…” – True Fine Mama, Little Richard.

5 thoughts on “Nós dois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *