Muda [2]

Quem casa, quer casa. Eu e a Carol moravamos no mesmo apartamento [studio] que ela tinha desde que saiu da sua cidade de origem, que é confortável para um, mas pôde ser otimizado para 2. Foi otimizado, e cabia toda a nossa vida ali. Mas é melhor quando cabe a vida e, ainda assim, sobra espaço.

Driblamos o impeditivo de ter pais que nos anularam financeiramente e, agora, pudemos ter um apartamento maior. Três quartos e vezes maior. Com escritório pra mim e quarto para dormir e trabalhar como coisas separadas. Com espaço para mais vidas, mas não para agora. Ainda é tempo de [pre]encher esse novo lar, com as nossas próprias vidas.

 

31

Gosto de simbolizar as coisas, e consegui finalizar a mudança e ter este lar novo, 100% de pé, no dia 10, meu aniversário. Aos 31, chego me sentindo meio copo, meio água. Copo, pois cheio, vazio ou pela metade, estou ali, pronto para viver o que me for possível. Livre para ter uma vida onde não há quem dependa de mim. Leve para aceitar todas as circunstancias ao meu redor. Solto para manter a consciência de que sou responsável por aquilo que efetivamente alcanço e desejo alcançar, mesmo com as circunstâncias e o ambiente existindo ao meu redor.

Água, como diria o mestre Lee, para ser fluído, para me adaptar, para ter a mente límpida. Ser inteiro, para mim. Ser metade, completa, em todos os relacionamentos que nutro. Em poder correr, para quem está no futuro, para quem ficou ou veio, do passado. Para passar, presente, para todos aqueles que efetivamente me quiserem ao seu lado.

 

E é isso.

A onda já era positiva àlgum tempo. Dias ruins, fáceis de ter, e mais fáceis ainda de deixar passar. Semanas cheias, de voltar a dormir apenas 13h ao longo de 7, 8 dias. Mas, todos os clientes felizes, com suas demandas cumpridas. Eu, com uma condição financeira nada espetacular, porém impar. De coração quentinho por conseguir lidar com tudo que faço e vivo. Por conseguir me desapegar das coisas que não servem. E viver, felizão, a continuar acreditando que o resto ainda é só o resto.

||| ♫  ||| Stress is cruel, fame’s a lie / But you’re special, on every level / Success is cool, and money is fine / But you’re special, another level, “Higher Higher”, Justin Timberlake

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *