Eu

Adoro fotografia. Sempre posso vou às exposições. Desde q me entendo por internauta estou em redes sociais e/ou sites que tenham um apelo mais visual/fotográfico, e gasto horas semanais passando o olho em imagens, de todas as naturezas. Nos tempos de usuário diário de transporte público, obrigatório namorar todos os cartazes e posteres dos terminais de onibus e nestes. Meu primeiro e segundo celulares? Com as melhores câmeras possíveis ao meu bolso.

 

Eu mesmo

Pegava a bike e saia fotografar. Nunca como os fotógrafos estudiosos, que vão até o limite dos processadores de suas máquinas e/ou lentes. Mas com recortes extremamente peculiares, ou imagens com vários elementos, para, assim como esse blog, ter várias pequenas coisas que me remetessem à grandes momentos. Fotos minhas? Tao contadas que fiz caber praticamente todas numa só imagem:

 

E as fotos

Ou seja, é uma relação engraçada, pra dizer o mínimo. Adoro ver as imagens dos outros. Amo compor a partir de várias imagens. Mas fazê-la comigo, que parto!

Não tenho uma explicação razoável para isso. Simplesmente não me habituei a me registrar. Vergonha ou achar o rosto feio? Nanana. Preguiça de poses? Geralmente sim, mas não a ponto de fazer cara feia.

 

Não cresci num ambiente onde multimídias eram acessíveis, pelo contrário, era algo “santificado” por ser ferramenta de trabalho do meu pai [uma camera de vídeo que apareceu lá em casa em 2002, recebida como forma de pagamento por outros serviços que ele fez].

A partir do momento que tinha o celular com câmera, sempre achei bem mais interessante o que estava ao meu redor, ante o ego. Quando namorando, aí sim, bastante selife e beija várias vezes até a foto ficar massa. Quando troquei de celular, pensando na melhor câmera, já era apenas como ferramenta de trabalho, poder tirar as melhores fotos e, precisando fazer mágica, photoshop sempre ao meu lado.

Fotos espontaneas – e engraçadinhas – são mais o meu tipo. Nada de fazer como todo mundo faz.

Hoje, sigo com essa relação meio vouyer, meio tímida. Ainda apaixonado por imagens. Com a quase certeza de que serei até depois que o resto for o resto :)

||| ♫  ||| I am different, I have purpose / I am brilliant, yes I feel it / And I.. yes, I can light the whole universe, “Light the universe”, Vivian Green

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *