Vou pichar nos muros palavras e elas vão ser um pouco mais que paisagens, as paredes vão falar por mim.

Vou correr pelas cidades cantando canções antigas, só pra todo mundo ouvir de novo o que ninguém ouviu. Vou me emaranhar nos teus defeitos e sair de lá com qualidades que só você tinha. Vou pertencer à outra qualquer, qualquer outra: vou continuar não sendo de ninguém.

Eu vou andar fora da linha só pra ver se o trem me pega. Vou sorrir para estranhos e emudecer conhecidos, só pra ver qual é a graça. Vou conversar com desconhecidos para desconhecer o previsível. Eu vou ficar perfeitamente sozinho, já que completamente nascemos e morremos assim. Vou planejar ir para algum lugar só pra encontrar o que vale à pena, pelo caminho. Vou meditar no metrô e cantar axé, mais alto que todo mundo, no culto. Vou ler noticias antigas para fazer escândalos novos. Eu vou me esquecer de te lembrar, até lembrar de te esquecer. Ou o que acontecer primeiro.

Eu vou fazer crônicas com finais supostamente tristes só para parecer diferente, melancolicamente clichê. E escrever textos motivacionais só pra ficar rico. Vou escrever poesias sem rima e versos sem métrica, só pra ser moderno. Vou ser moderno só pra lançar um livro, impresso. Vou parar no tempo e fazer o tempo voltar naquele tempo onde o tempo não passava. Vou dar rasteira no saci. Vou te dar uma resposta em forma de pergunta.

Eu vou me olhar no espelho pra enxergar o que os olhos não mostram mais. Vou esquecer que não tenho tantas coisas, só para lembrar de ter medo de perdê-las. Vou valorizar tudo que não tenho até não ter o que valorizar. Vou me apaixonar pelo novo até que o que me compunha não veja mais aqui algo que signifique. Vou falar das vidas que eu já vivi. Vou ouvir até aprender. Vou aprender a viver só para viver de sentir. Pois sou um upload inconstante de sensações. E em cada emoção, uma nova versão.

=== [] === [] ===[] ===[] ===[] ===[] ===[] ===[] ===[] ===[] ===[] ===

Ah, pra quem ainda não me ouviu, só clicar aqui. O resto é o resto =)

[♫]”Don´t make me responsible for something that you can´t find…” Closer, Corinne Bailey Rae [no profundo(/trocadilho) e gostoso álbum “The Sea”, novo dela].

5 thoughts on “Então vai…

  1. E eu vou tentar fechar os olhos e fingir que nao me sinto atingida por m uita gente na blogosfera…
    KKKK
    vou fazer de conta que o mundo é rosa…Pena que tudo é tao assim…sem lógica….hoje…Amanha…tudo se reorganiza…
    bjs e dias felzies

  2. esse seu post casa um pouco com o meu sobre reencontros.

    cada parágrafo que vc redigiu me faz pensar que estamos sempre “em upload”, adicionando novas habilidades: abstração, compaixão, compreensão e tantos outros “ãos”.

    sempre um desbunde os seus textos, meu caro! um beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *