O tempo é de 22 anos e 365 dias, minha gente que completa aniversário! Foi dada a largada…

Sério mesmo, não tenho nada a reclamar.

Mais um aniversário, e a certeza de que aprendi tudo o que era preciso, até então. E eu me amo.

Estes 365 dias últimos foram, resumidamente, o cumprimento de “uma profecia” que havia escrito em 2008. Um acordo comigo, que vi sendo e fiz ser efetivado.

Afinal, algumas coisas só o tempo explica, outras só a vontade ensina a compreender; na soma disso, 2 anos é espaço suficiente para mais um pouquinho de amadurecimento, ao menos para mim, singular.

Desde então, não brinquei mais de viver. Apenas vivi, quase sempre simples assim. Excerci minhas escolhas, paguei por elas, e gosto do saldo que carrego.

Com meus defeitos, aprendi a refiná-los. Aqueles que são meus evoluíram, amenizaram e abriram espaço, felizmente, para defeitos novos.

A simples ideia de que com um erro eu aprendo me tira um daqueles raros sorrisos largos. Insisto em compreender o incompreensível e em acreditar que algumas pessoas são um pouco mais. Ilusões são permitidas, ainda bem =).

Vez ou outra bate uma curiosidade acerca do sem-número de pessoas que só me procuram quando precisam de mim, do poderia acontecer se eu precisasse delas para algo importante.

Decepcionar-se fácil cabe doladecá [aquele dos defeitos] da tabelinha, né?

Ausências me soam naturais, mas tudo bem: a gente só vê o que conhece, a gente só dá o que tem.

Sobre os defeitos que me atribuem, o que dizer? Sim, a gente só vê o que conhece, a gente só dá o que tem.

Das qualidades, nunca omiti que gosto da minha sinceridade, me otimiza o tempo e ajuda aos outros, vezenquando.

Não ficarei me “vangloriando”, até porque cada um sabe [se não sabe, que trate de aprender!] a dor e a delícia de ser quem se é.

Mas digo então tão que uma das coisas que inspira as caretas que me ofereço ao espelho, todas as manhas, é o [baita] orgulho de um legado que espalhei por quem passou, ficando ou não, na minha vida.

Pessoas que escrevem regularmente, por si, pra si e para outras.

Meninas e mulheres que ao estarem comigo, preparam-se para estar com alguém que realmente as merecessem, e estão felizes [ou aparentam estar, :P!].

Gente que aprendeu a saber de e a falar de si. Que ouve melhor. Que não sabe mais usar parênteses, só usa chaves [ráááá!].

Que vê esquecendo-se de apagar um “tão” depois da palavra então.

Que diz que “está feliz, pois faz o que ama e ama o que faz, acertei na escolha que tinha e estou adorando coisa tal”.

Pessoas pras quais minha ajuda funcionou [e que viraram fãs ocultas dum certo blog!].

Gente que também leva 1 tempo pra compreender algumas coisas, e depois vem agradecer ou lamentar por não ter percebido / aprendido antes. Mas aprendeu, poxa!

É o que importa. Um legado que se soma ao que deixaram para mim, compondo este que vos escreve.

Carrego comigo uma paz de espírito fabulosa, uma estranha alegria por não saber do amanhã, e uma alma serena quanto ao que vivi ontem.

Para que hoje encontre, perdidos na mais banal das frases [declarações] recebidas até o mais singular dos gestos, os motivos para manter-me acreditando que vale a pena, seja lá o que isso venha a significar em cada um desses dias.

E graças a Deus e a um tantão de coisas, permaneço imperfeito.

Carrego comigo esse conjunto de escolhas aqui: não me omitir e dedicar-me incondicionalmente à família p/ manter as contas em dia.

Frilar para completar a renda.

Completar anos almoçando arroz com alguma coisa [requentados numa leiteirinha, no trabalho], investir se sobrar, gastar jamais.

Ficar dias, meses até, só com uma nota de 5 mil cruzeiros [com um rasgado recuperado com contact] na carteira.

E não dever nada para ninguém, ninguém mesmo [e não estou falando só de dinheiro!].

Não fazer parte do jogo de parecer, não fazer média, ter curiosidades estranhas, ajudar [e dispor-me a ajudar] aos outros sem segundas intenções [ter postura estranha, rs!], fazer perguntas sem papas na língua, ser sincero, falar do que penso, não ter medo de [nem vergonha em] ser contrariado.

Estudar, ler, ver, ouvir sempre [e cada vez mais. Não estou falando só de música!], falar o que couber.

Fazer questão de me oferecer algumas caretas diante do espelho, logo depois de acordar.

Correr e pedalar, pelo corpo.

Meditar entre um dos dois [ou três] busuns de ida ou volta e/ou nas noites de corpo na cama e cabeça por ai, pelo espírito.

Dormir o suficiente [e não me pergunte quanto tempo isso significa nem para quê!].

Não saber lamentar dificuldades, ter intolerância à gente anestesista, manter distância de quem quer dividir mas só sabe subtrair [pra manter e ampliar o espaço cativado por quem vem somar, pensando em multiplicar], e, pouco ou muito, somo a isto a minha pós-graduação em gestão de marcas, iniciada no meio do mês de março.

Sonho planejado, meta alcançada, batalha aceita [com 1 pequeno detalhe a se concretizar].

Minhas escolhas, minhas.

Viver, com toda certeza [e não estou falando apenas de escolher!].

Então tão, que comece a 23ª volta… porque o resto é o resto :).

[♫]“And when I look behind, on all my younger times, I have to thank the wrongs…”| [♫]live high / live mighty / live righteously, and taking it easy…” John Mayer – Perfectly Lonely | Jason Mraz – Live High.

6 thoughts on “Eeee compleeeta a volta…

  1. Mais uma volta completada com garra, com escolhas e muita coragem . VIVER é um dom ( e não estou falando apenas de respirar ).
    Gosto de quem é competente na arte de viver.

    Beijão, querido.E parabéns.

  2. Que feio. Ainda não havia lhe parabenizado….
    Engraçado, no meu aniversário me bate uma depre. Não sei certo como explicar tal sensação. E não consigo exprimir com tanta alegria este dia tão bonito como vocêo faz. Para mim, cada ano novo se fecha no diado aniversário . Como você mesmo diz, fecha-se mais um volta. Hehe mas espero dia após dia omeudia chegar e completar mais uma volta, e na chegada espero encontrar todos os sonhos, e a partir daí pegar um novo refil de sonhos, fé… enfim, começar mai uma volta e completá-la não precisando ser vitoriosa em todos os objetivos, mas com fé de que eles ainda serão postos em prática!
    Lindo texto

  3. O melhor de tudo é não dever nada pra ninguém e ter a consciência tranquila de que deu o seu melhor!! Parabéns pela nova idade e que consiga realizar sempre mais!

    *Você é muito modesto!! :D

    Beijus,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *