A vida nunca foi de me permitir ser um viajante. Mas bastou fazer-me conseguir viajar, até mesmo driblando uma greve de caminhoneiros, para esticar um feriado fora do habitual.

 

O litoral de Santa Catarina é fantástico, e a cidade onde estive, é perfeita para quem quer muito do que eu penso como ideal de vida simples. Um conjunto de ideias e prazer que espero repetir muitas vezes :)

Arejar a cabeça também é excelente para deixar o coração mais em paz. Quantas vezes vamos colocando pessoas-roubada e circunstâncias-roubadas em nossa vida simplesmente por seguir o fluxo? Inúmeras.

Tendemos a atrair – sem perceber – mais do tipo de situação que não nos soma ante o oposto. E quando menos esperamos, viramos a chave e ficamos só pela perspectiva negativa do que e quem nos cerca.

Me desconectar em vários sentidos permitiu atualizar algumas ideias e compromissos que acredito piamente que vão me colocar na jornada (não necessariamente no destino) no qual a simplicidade de viver que tanto prezo esteja constante e positivamente renovada.

De uns tempos pra cá, também me desconectei do que o senso comum chama de realidade. Não ficar apegado às notícias, organizar e viver meu tempo sem colocar as circunstâncias como impeditivos, manter-me informado sobre o cenário econômico para entender se o que ganho atualmente é muito ou pouco, tudo serviu para viver a vida de maneira mais leve.

 

E tratar um baita conjunto de coisas não com a anestesia de quem segue sentado diante da TV com “nossa, que país complicado, que povo corrupto, olha situação tal, eu apoio tal categoria”, mas com a maturidade de lembrar que sigo o único responsável pelo que desejo alcançar e, se não batalhar, se não criar um ambiente onde a sorte também possa impulsionar, tudo fica como está e tudo segue como é.

A rotina que me impor, é a rotina que eu tenho responsabilidade em tornar boa ou ruim, positiva ou desgastante, real ou desnecessária. As pessoas que deixo ou afasto, cabe a mim decidir como receber o que me dão, ou o que tentam me tirar.  Até que consigamos nos bastar e nos manter diariamente integros, felizes, nem sempre tão inteiros. Até fazer o resto ser o resto. 

||| ♫  ||| Disco Ventura, Los Hermanos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *