Para ver:

Ex-machina traz uma reflexão muito curiosa sobre nossa relação com a tecnologia. De maneira não proposital, é um complemento de Her, acerca da nossa solidão e da transfiguração das relações, com todas as coisas boas e ruins; da linha perdida e a nova fronteira a ser encontrada, na convivência humana, com o on e off-line.

Scott Pilgrim vs. The World é um filme visualmente rico, divertido, criativo, e pelo pouco que pude pesquisar, muito fiel a sua origem [quadrinhos]. De certa forma me senti feliz de que ele tenha existido quando eu já era adulto, pois se tivesse assistido na minha adolescência, teria mudado muito do que pensei, vi, senti e fiz no quesito relacionamento. Mexeu positivamente comigo, desencavando uma série de coisas boas que fiz e como corrigi o que não era bom pra chegar até aqui. Só pela direção de arte já vale o play :)… e a trilha vale ouro. Gravidade primeiro me despertou a curiosidade de “nossa, que filme curtinho, só 90 minutos”. Depois dos primeiros 20 você apenas deseja que tudo acabe o quanto antes, acredite. Só vendo pra entender, hehe… mas apenas se você não for claustrofóbico. 007 – Spectre, é um filme que você tem que assistir de cabeça completamente aberta, desconectando-o do mundo atual. Do contrário, você só enxergará clichê do começo ao fim, e ficará se questionando acerca de qual a necessidade de um rótulo tão assertivo de machismo. Daniel Craig fechou muito bem sua quadrilogia, a música tema, pra variar, é um desbunde, e estou muito na torcida para que confirmem-se os boatos do próximo Bond ser um ator negro, só pra ver escancarado o preconceito que muitos dizem que não tem.

Para ler:

Revista (Coletivo) Obvious é uma excelente pedida. Independendo se um passeio pelo site ou a recepção no seu e-mail da seleção semanal feita pelos editores, é legal ver escritores quase anônimos, “gente como a gente”, falando sobre historias, cursos, aprendizados, e humanidades, que me fez lembrar que outro dos bons jeitos de aprender uma coisa na vida é compartilhando. Ajuda a fazer com que o resto seja só o resto :)

[] sem música! Tem mais aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *