Nas conversas que tive com conhecidos e desconhecidos a respeito da “instituição” casamento, observei que o discurso está um tanto voltado para um sucesso que tem pouco a ver com propósitos que se diga puxa.

será que casar é só isso mesmo?

Mesmo as mídias vendem essa ideia “comercialista” de que o sucesso de um casamento passa primeiro pelo êxito financeiro, e que em dois isto apenas fica mais fácil. Não explica, mas justifica pq tem tanto casamento sem dar certo… vi e ainda vejo colegas e amigos brigando ou desbafando a respeito de vossos relacionamentos centrados na falta ou sobra, graças a um mau uso, do dinheiro somado. Vejo um grande desperdício de saúde e de tempo com isso…

Passamos a ser pressionados direta e indiretamente, consciente e inconscientemente, seja pela companhia, seja pelos próximos, a realizar uma série de coisas que não mudam muito a nossa vida de maneira instantânea, como se nos tornássemos Hercules de aliança na mão direita, depois esquerda:

GANHE MAIS DINHEIRO!! TRABALHE MAIS, NAO DESCANSE!!! PQ VC NAO LUCRA MAIS!!! FACA UMA FESTA GRANDE!!! SEJA AGRADAVEL A TODOS OS PARENTES!!! AME-ME PELO QUE SOU, POIS TE AMO PELO SALDO!!! NAO QUESTIONE MINHAS FUTILIDADES, FOCO NA MISSÃO NUMERO 1!!! TENHA TUDO QUE A GENTE QUER QUE VOCE TENHA E NAO O QUE VOCE ESCOLHER!!! FACA O QUE ME AGRADA E NAO O QUE VOCE TAMBÉM QUER!!! NAO ESQUECA QUE VOCE TEM QUE GANHAR MAIS DINHEIRO!!

Dá a clara impressão de algo que conversei e converso há muito com a Carol: de que casamos pros outros, e não por uma escolha. De que fazemos de dois “o um mais forte” apenas para agradar a sociedade e o comércio. Doce ilusão, suave incômodo: um relacionamento que não tenha como propósito fazer duas pessoas manterem-se inteiras e felizes em suas medidas pode escolher o nome e rótulo que for, não dará certo. E não sendo desse jeito nem tem como o resto ser só o resto.

[]  ” Remember the day / I set you free / I told you you could always count on me darling / From that day on / I made a vow / I’ll be there when you want me / some way somehow” Ain´t no mountain high enough, Diana Ross & Marvin Gaye.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *