entrei para o time de empreendedores e agora tenho a minha empresa de consultoria em branding, comunicação e design. A vamos crescer juntos é a tradução dos 12 anos de exercício profissional que pratico, com perrengues, com vários tipos de responsabilidade mas, essencialmente, com amor. É a ideia que fora maturada por nove anos, nos quais passei 8 e meio dentro de uma empresa, e há 3 meses, fora dela. É o meu propósito profissional traduzido em marca, site, e tudo o mais que couber nessa jornada. Vamo que vamo :)

outra coisa que tem acontecido no último semestre é que estou um diretor de arte que tem pego proporcionalmente menos em ferramentas visuais, mas tem produzido conteúdo. Bastante. De tudo um pouco. Bônus de ter este espaço há 12 anos, ônus de gostar de escrever.

E a clássica fruta que não cai longe do pé, só dá aquela roladinha: meu pai era um prolífero prolixo.

Se vivo, e em boas condições de saúde, certamente teria blog e pagina no facebook sobre politica e ciências sociais, e passaria um nervouser com os haters e a tropa do ócio virtual. Mas, como sou feito de amor pela criatividade e pelo exercício do uso de ferramentas visuais, logo acabo inventando mais coisas de “ler com imagens”, pra não ficar só no artesanato visual dos trabalhos.

A adaptação ao novo fluxo de dia a dia e de trabalho, pra mim, fora espetacular. Estar senhor de horários e agendas é uma sensação indescritivel. É uma sensação de riqueza que só estaria mais paga se a tal da prosperidade financeira fosse dispensável [ou já tivesse sido alcançada]. Riqueza que está aqui dentro de mim muito pelos aspectos pessoais [onde eu gostaria de pode escrever com mais fluidez e coisas mais positivas, o que não é a fase], mas essencialmente pelo profissional. Onde está construida uma facilidade maior para “sentar e fazer”, mesmo com as inumeras tentações que o ambiente caseiro sugere. Onde tem uma dinâmica muito mais ao controle do que em qualquer outro lugar. E, como em tudo na vida, dá pra e vai melhorar. Ao seu tempo =)… para fazer o resto ser o resto!

[♫] “Once a grassland, now a wasteland / barren by, a jealous tide, swept away a history, a genesis of memories of you and I…”, Chapter 3: the hatched, Jennah Bell.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *