E eu já sou um planeta de campos verdejantes. Afinal, você já era todo esse espetáculo.

Com esse seu jeito de prender o cabelo pra trás nunca deixou de me encantar. E o jeito estranho de rir, duplamente engraçado: primeiro porque é das risadas mais gostosas de ouvir, segundo porque é simplesmente sensacional, com covinhas e um brilhar de dentes que ui ui ui. Olhar grandão e olhos pequeninos, firmes até mesmo quando naufragados em lagrimas, sejam as de motivos quaisquer ou pr´aquela tristeza que seu peito sempre carregou e até hoje a gente não sabe o porque, né? Bocão de mascote de gelatina, digno das caretas mais impagáveis que já fotografei. Olhos de céu de fim de dia, que sempre souberam enxergar além e quase sempre voltavam-se a mim para mostrar como e quanto a vida é mais. E é mesmo, não?

Suas fixações com as coisas mais bobas e os esquecimentos com as mais triviais, como ter [vez ou outra] misturado ao seu cheiro [muito muito bom], um duplo aroma de arroz com feijão: um deles possivelmente queimado, já que fazer várias coisas ao seu tempo tá longe de ser seu forte [como não lembrar disso, foram tantas e tantas vezes em sua casa…]. Forte, outra coisa que sempre te vi ensinando direta ou indiretamente àqueles que são de sua vida. Vida, cheia de manias e tiques que se não fossem seus, não seriam de mais ninguém. Trezentos trejeitos de ser só você mesma. E nada melhor.

A forma de falar que inveja muitos narradores esportivos, juro que até hoje nem sei como você respira! Entre os goles de cafés ou outra bebida tão divertida quanto, suas fabulosas histórias simples, e as simples tragédias do cada dia, todo dia, seu jeito de descrever cada passagem, cada momento, sensações compartilhadas. E esse tudo que compartilhamos, quanto tempo já faz heim?

Até devo saber, mas agora não lembro. Mas não esqueci de você. Nem conseguirei. E das singularidades de uma vida que só poderia ser sua, só merecia ser para ti, e que você vive até onde sei, feliz. De todos os detalhes que peguei, e outros que só mais tempo me permitiram ver. Carrego poucas certezas na vida, você é uma delas. Que continua espetacular.

Pena sermos menores que nossas estradas, né? Há uma vida que é sua, e por aqui estou na minha. E como =).

Se o título começa com aquele símbolo, no final tem música, que é a inspiração direta do texto. Está de volta a série “da letra à musica” ;).

| “I knew a girl. She puts the color inside of my world.
But she´s just like a maze, where all of the walls all continually change.
And I´ve done all I can, to stand on the steps with my heart on my hands.
Now I´m starting to see: maybe it´s got nothing to do with me…”
John Mayer, Daugthers.
letra aqui.

7 thoughts on “(( ♫ )) Saudade é mato…

  1. Só pra variar, ou já sou suspeita e fã de carteirinha dos teus escritos, adorei o texto. O que mais me encanta? Tua sensibilidade masculina e um olhar para as coisas boas da vida como poucos.
    Chega de confete. Beijão garoto.

  2. CAraca.. eu sou burro pra caramba… tava aqui, depois de um longo e tenebroso inverno, esperando carregar pra finalmente conseguir escutar seu podcast, quando enfim consigo começar a ouvir os primeiros sons, e perceber sua voz e tal… eu clico nesse post aqui pra comentar, e corto o audio que estava ouvido… mas que besta!
    logo agora!

    e em contra-partida, até esqueci o que ia comentar aqui.. .
    enfim.. vou voltar pro meu calvário de carregar o áudio, com muita paciência e tão logo tenha escutado, comento… ou não!
    em princípio, já adianto, que tava maneiro!
    Valeu Tony!

    ah.. lembrei! vim falar do blog dos quadrinhos que voce me indicou. Bicho, que blog maneiro cara! muito muito bom mesmo! Gostei pra caramba! Um sábado qualquer é muito legal! um achado! Valeu Tony!!!!!

  3. post apaixonante e apaixonado; me deixou pensando em como podemos ser tão especiais sendo apenas nós mesmos, com nossos tiques, nossos trejeitos, manias, suspiros… a vida é assim, tão intensa, pra quem se permite viver tudo de verdade, com sinceirdade. esses deixam saudade.

  4. Vc é generoso. Com vc. Com quem te ler. Com a vida. E isso é TUDO.
    Há momentos em nossas vidas, Tony, que as lembrancas, nos ajudam a superar grandes desafios da vida a dois.eu que o diga…Vivo sempre renascendo, por que faco das lembrancas boas vividas com o meu marido, o tempero para nos refazer na vida a dois.
    Bjs e dias felizes

  5. As belezas mais simples de cada pessoa e o que realmente nos encanta… gostamos sem saber o que exatamente heheheh.
    Nem preciso dizer que adorei *_* o texto ne? Boa semana.
    P.S. A fita branca (o filme) ja esta saindo de cartaz, eh provavel que ja tenha saido ai.

  6. Caramba! Que texto bacana!
    E sim, cá estou eu super hiper mega atrasada para retribuir um comentário seu. Inclusive acho que é o único que comentou naquilo lá haha.

    Obrigada o/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *