Na primeira vez que vi, já sabia.

Na segunda vez, e você sorriu, saber não bastava, virou certeza. E de uma timidez sempre segura para um “oi, meu nome é esse e eu quero fazer parte da sua vida”, foi mais que um pulo. Foi um ato de coragem.

Um ato de coragem que só tem quem se sente vivo. Vivo a ponto de enxergar em você uma companhia para um tempo maior que uma aventura. Muito tempo, muito mais tempo que essas temporadas de séries. Muito mais tempo que uma passagem bíblica. Mais tempo que show de banda gringa. Tempo pra aprender a conhecer, conviver, reconhecer, e amar. Pouco ou muito?

Aconteceu. Na terceira vez, vi alguém que teve o mesmo impacto e sequer disse com palavras: com um olhar firme, um abraço “de encaixe” [sabe quando a pessoa abraça você e vai ajeitando os braços até encontrar uma posição onde ela consiga encostar o corpo dela no seu ao máximo? Então!] e um beijo de ponta de boca, já passando uma mão no pescoço e com um “oi, como você está se sentindo?” no pé do ouvido.

Desta vez em diante, tudo apenas foi, pois eu estava me sentindo muito bem. Quase tudo apenas é, como quase todas as necessidades. E é bom demais :)

E SE TEM SÍMBOLO ACIMA, VEM DE MÚSICA. TEM MAIS AQUI.

[] “Cause everyone wants someone

That’s one cliché that’s true

But since you I want no one

Unless that someone’s you” / No one else like you, Adam Levine.

One thought on “((♫)) não existe melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *