Não que eu tenha como missão te esquecer.

Apenas me anima a ideia de que eu posso seguir minha vida sem esse fantasma, sem abrir um sorriso bobo cada vez que o ônibus passa em frente daquela rua, sem pensar “o que ela está fazendo agora?” “Mora ali ainda, a vó conseguiu terminar de pagar?”, ou cada vez que eu vejo uma bolsa amarela, ou feita de crochê.  Não que eu precise disso.

Só me conforta entender que seria mais gostoso se eu vivesse no hoje, em todos os hojes, sem ser perseguido pelas ideias de “mas e se tivesse dado certo?”, “e tudo aquilo tivesse acontecido?”, “e se ela dissesse de outro jeito?”, “e se eu tivesse feito a ultima mudança?”. Seria mais legal se eu não olhasse para alguns rostos e enxergasse o seu olhar. Não que eu esteja perdendo algo com isso.

Mas seria melhor se, ao invés de permanecer preso naquela historia cada vez que algumas músicas tocam, a vida continuasse seguindo com um pouco menos de lembranças bo(b)as, um pouco mais de conversas bo(b)as, um tanto menos de “qualquer dia eu desço aqui”, um tanto mais de “eu já não sei mais que dia que ela faz aniversário”. Não que a minha vida continue mudando por causa disso.

É que parece ideal que o rio desça e não suba mais. Que a agua transborde, faça o estrago, mas fuja pra algum lugar, como só ela consegue fazer. E não fique nenhum copo ou garrafinha cheios. Parece ideal que a gente viva um romance, aproveite o melhor dele, sofra quando acabar [conforme acabar], e esqueça. Não fica um ponto final doido [e doído] pra ser virgula. Fica a certeza de que foi o que foi, enquanto durou. Fica a clareza de que a gente consegue esquecer, mesmo sem dever.

E SE TEM SÍMBOLO ACIMA, EU CONTO UM CONTO (trouxe o símbolo para não gerar confusões de conteúdo). TEM MAIS AQUI.

[♫] “Now I’ve found that I’m bound

To wonder down that one- way road

And I realize all about your lies

But I’m no wiser than the fool that I was before

I just want you closer, it’s that allright?

Baby let’s get closer tonight”, Last Request, Paolo Nutini

2 thoughts on “[≈] um dia eu vou conseguir, mas não deveria.

  1. E se… Cada pessoa que passa em nossa vida, deixa a sua marca. O que esquecer significa também esquecer dessa marca ou tirar de nós o tempo dedicado, as alegrias compartilhadas e todo o resto que na soma são pedaços de nossa própria vida. Tony, não posso dar parágrafo ou tentar ler o que escrevi que a página pula para o comentário ser publicado. Então, nem sei o que escrevi… Sabe que conheci o Paolo Nutini em uma festa de casamento. Ele nem era famoso, mas era mais bonito :D e nossa, que simpatia! Não foi no Brasil… Feliz Páscoa!! Beijus,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *